Resenha: Paixão sem limites

Blaire Wynn não teve uma adolescência normal. Ela passou os últimos três anos cuidando da mãe doente. Após a sua morte, Blaire foi obrigada a vender a casa da família no Alabama para arcar com as despesas médicas. Agora, aos 19 anos, está sozinha e sem lugar para ficar. Então não tem outra escolha senão pedir ajuda ao pai que as abandonara.
Ao chegar a Rosemary, na Flórida, ela se depara com uma mansão à beira-mar e um mundo de luxo completamente diferente do seu. Para piorar, o pai viajou com a nova esposa para Paris, deixando Blaire ali sozinha com o filho dela, que não parece nada satisfeito com a chegada da irmã postiça.
Rush Finlay é filho da madrasta de Blaire com um famoso astro do rock. Ele tem 24 anos, é lindo, rico, charmoso e parece ter o mundo inteiro a seus pés. Extremamente sexy, orgulha-se de levar várias garotas para a cama e dispensá-las no dia seguinte. Blaire sabe que deve ficar longe dele, mas não consegue evitar a atração que sente, ainda mais quando ele começa a dar sinais de que sente a mesma coisa.
Convivendo sob o mesmo teto, eles acabam se entregando a uma paixão proibida, sobre a qual não têm nenhum controle. Mas Rush guarda um segredo que Blaire não deve descobrir e que pode mudar para sempre as suas vidas. 

Paixão sem limites - primeiro volume da trilogia Sem Limites, que vendeu mais de 500 mil exemplares como publicação independente - é um livro romântico, sexy e intenso, que vai conquistar os leitores e deixá-los ávidos pela sequência.

Adorei esse livro, na verdade, ele é o meu favorito. Quando eu peguei pra lê-lo pela primeira vez, não consegui mais largar. A ansiedade pela continuação me deixou bem louca! 

Abbi Glines construiu uma personagem bem forte, mesmo Blaire perdendo a mãe e a irmã e praticamente o seu pai que a deixou, ela não reclamou em nenhum momento da vida, pelo ao contrário, a confiança que ela tinha em si mesma, que no final tudo iria dar certo fez com que eu parasse e fletisse sobre a minha vida.

O Rush no começo me deu muita raiva, ele é um Badboy que pega todas as meninas e leva pra cama, como se elas fossem descartáveis, quando ele vê a Blaire pela primeira vez, já percebe que a mesma era uma ameaça, mas como todo badboy não é de ferro quando vê garotas bonitas, ele deixa Blaire dormir no quarto despensa até o pai dela - que é casado com a mãe dele - chegar de viagem.
Eu até entendi a irritação do Rush no começo pelo pai da Blaire, que pai desnaturado manda a filha pra casa do irmão postiço que ela nem conhece e ainda por cima nem está lá pra recebe-la?
Aos poucos o Rush vai percebendo que a sua atração por Blaire é ainda maior do que ele pudesse imaginar e que ao passar dos dias ficava quase impossível não tocar na garota, que alias, mesmo negando a si mesma também sentia o mesmo por ele. 

Gostei bastante do livro, a história é bem direta e envolvente, quando você percebe já terminou de ler. Agora vamos esperar pelo segundo, que alias, pretende ser melhor do que o primeiro!

Minhas citações preferidas:

“ – Você é a mulher mais linda que eu já vi. Por dentro e por fora – Sussurrou, cobrindo o meu rosto de beijos antes de abocanhar meu lábio inferior.”

“ – O amor agora não bastava. O amor não bastava quando a nossa alma está em pedaços.”

“ –  Eu amo as duas. Vou amar pra sempre, mais agora estou bem. Elas estão juntas. Têm uma à outra – falei ao sentir sua relutância em retribuir meu beijo
– Você, quem você tem? - Indagou ele com uma voz atormentada.
- Eu tenho a mim mesma. Três anos atrás, quando a minha mãe ficou doente, descobri que, desde que se nunca me esquecesse de quem eu era, eu ficaria bem. - Respondi “

Eu posso dizer que amei essa trilogia, em todas as partes. Aqui no Brasil por enquanto só é lançado Paixão sem limites, que nos EUA se chama Fallen to far. Está previsto para estrear o segundo livro da trilogia agora em fevereiro que será Tentação sem limites, em inglês Never too far.

Nenhum comentário:

Postar um comentário